Monteiro Lobato
Curiosidades

Frases de Monteiro Lobato

José Bento Renato Monteiro Lobato(Taubaté, 18 de abril de 1882 – São Paulo, 4 de julho de 1948) foi um dos mais influentes escritores brasileiros de todos os tempos.

18 de abril dia de Monteiro Lobato

Foi um importante editor de livros inéditos e autor de importantes traduções. Seguido a seu precursor Figueiredo Pimentel (“Contos da Carochinha”) da literatura infantil brasileira, ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo de sua obra de livros infantis, que constitui aproximadamente a metade da sua produção literária. A outra metade, consistindo de contos (geralmente sobre temas brasileiros), artigos, críticas, crônicas, prefácios, cartas, livros sobre a importância do ferro (Ferro, 1931) e do petróleo (O Escândalo do Petróleo, 1936). Escreveu um único romance, O Presidente Negro, que não alcançou a mesma popularidade que suas obras para crianças, que entre as mais famosas destaca-se Reinações de Narizinho (1931), Caçadas de Pedrinho (1933) e O Pica-pau Amarelo (1939).

Frases de Monteiro Lobato

– A vida, senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem pára de piscar chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme e acorda, dorme e acorda, até que dorme e não acorda mais […]
A vida das gentes neste mundo, senhor Sabugo, é isso. Um rosário de piscados. Cada pisco é um dia. Pisca e mama, pisca e brinca, pisca e estuda, pisca e ama, pisca e cria filhos, pisca e geme os reumatismos, e por fim pisca pela última vez e morre.
– E depois que morre?, perguntou o Visconde.
– Depois que morre, vira hipótese. É ou não é?

Um país se faz com homens e livros.

A natureza só permite aos gênios uma filha: sua obra.

Quem tem força, abusa.

E quem acredita em alguma coisa sempre acaba levando na cabeça.

A natureza criou o tapete sem fim que recobre a terra. Dentro da pelagem deste tapete vivem todos os animais respeitosamente. Nenhum o estraga, nenhum o rói, exceto o homem.

Assim como é de cedo que se torce o pepino, também é trabalhando a criança que se consegue boa safra de adultos.

A mim me salvaram as crianças. De tanto escrever para elas, simplifiquei-me.

Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê mora nele.

Para querer ter bons amigos, é preciso saber se você tem um.

Nada de imitar seja lá quem for (…) Temos de ser nós mesmos (…) Ser núcleo de cometa, não cauda. Puxar fila, não seguir.

Foi pelas ruas da vida que andei descalço e esfolei meus pés de amores vãos.

Seja você mesmo, porque ou somos nós mesmos, ou não somos coisa nenhuma.

Via: Wikipédia e Pensador

Gostou do artigo, encontrou algum erro ou quer dar uma sugestão? Deixe seu comentário :)