Curiosidades

HDS

Drives de disco rígido são sem dúvida os sistemas de armazenamento secundários mais populares. A combinação de sua confiabilidade, velocidade alta e baixo custo é duro de ser batida. Durante os anos eles encolheram em tamanho. Hoje, os discos rígidos mais comuns são de 3,5 polegadas para modelos de mesa e 2,5 para computadores notebook. Porém, existem até menores para PC Cards usados em máquinas fotográficas. Dois dos maiores fabricantes de disco rígido são Western Digital e Seagate.

Dentro de um Drive de Disco Rígido
Um disco rígido é empacotado em embalagens hermeticamente seladas na fábrica e dentro de um ou mais discos de vidro-cerâmica ou de alumínio, chamado pratos (platters), que são cobertos de um filme fino de material magnético semelhante ao usado em fitas auditivas ou de vídeo.

Dados digitais são armazenados na superfície dos pratos em círculos concêntricos, chamados tracks (trilha). Uma cabeça de read/write presa a um braço móvel lê e escreve informação nestes pratos. A velocidade à qual os cilindros giram determina o quão rápido os dados podem ser transferidos do disco. Atualmente a maioria dos modelos giram a taxas de até 7200 revoluções por minuto. Existe uma cabeça de read/write em cada lado do prato, assim ambos os lados são usados. As duas cabeças movem uníssonas e sempre estão opostas uma a outra. O par de tracks no topo e fundo do prato, chamado de um cilindro, é registrado como uma unidade para acelerar o desempenho. Se o drive tem mais de um prato, todo os tracks posicionados diretamente um sobre o outro formam um único cilindro e são gravados e lidos ao mesmo tempo. Por exemplo, se o drive tem dois pratos, o cilindro do drive contém 4 tracks, dois em cada prato. Se o drive tem 4 pratos, cada cilindro tem 8 tracks.

Interfaces de Drives
Para comunicar com o computador, é preciso uma interface para o drive. A indústria de informática padronizou o interface IDE (Integrated Drive Electronics) e o EIDE mais novo (Enhanced-IDE). O IDE trabalha com só dois drives, cada um deles não podendo ser maior que 504MB. O EIDE trabalha com até quatro drives de até 8 gigabytes e também trabalha com outros dispositivos como CD-ROM e drives de fita. Embora existam outros desafios como o ATA e suas variações, o único real competidor para o EIDE é o SCSI que requer um adaptador que soma mais de $100 ao custo do sistema. Por outro lado o EIDE tem uma interface construída direto na motherboard.

DISQUETES DE ALTA CAPACIDADE
Mais de 5 bilhões de disquetes de 3.5-polegadas e 1.44 MB para computador foram vendidos desde a introdução deles em 1984. Durante este mesmo período, capacidades de disco rígido de PCs novos aumentaram de 20 MB a 20 GB ou mais. Com estes drives tão grandes, a utilidade do velho disquete está muito limitada.

Há uma corrida para substituir o venerável disquete com novos disquetes de capacidade mais alta. Existem 3 concorrentes principais nesta corrida, o Iomega Zip disk de100 megabyte, o SuperDisk de 120 megabyte e o Sony HiFD de 200 megabyte. Os três tipos de discos não são intercambiáveis, assim haverá confusão no mercado durante algum tempo. Arquivos armazenados em um disco não podem ser abertos pelo outro drive. Porém, ambos o SuperDisk e os drives de HiFD são compatíveis para ler e escreva no formato 1.44MB dos disquetes tradicionais.

ARMAZENAMENTO MAGNETO-ÓPTICO
Um dos dispositivos de armazenamento crescentemente populares é a unidade de disco apagável e reutilizável magneto-óptico (MO). Estes sistemas de armazenamento oferecem longevidade, portabilidade, alta capacidade de armazenamento e acesso não linear (random). Para gravar dados, o laser no drive MO primeiro aquece a superfície do disco óptico. Quando aqueceu a um ponto específico, a orientação magnética de partículas pode ser mudada facilmente por uma cabeça magnética separada de read/write. Quando a área esfria, o dados ficam difíceis de ser apagado por outras fontes magnéticas, assim é mais seguro que com outras mídias. A mídia de MO esta disponível em dois formatos, rewritable (regravável) e Write Once Read Many (WORM), que permite gravar uma vez e ler infinitas.

Tagged

Gostou do artigo, encontrou algum erro ou quer dar uma sugestão? Deixe seu comentário :)