Curiosidades

Santos Dumont – O homem que fez o mundo voar

O homem que fez o mundo voar, foi um dos homens mais geniais nascidos em terras brasileiras. Este homem merecia um Nobel póstumo. Qualquer um. O seu voo, o primeiro da humanidade – primeiro sim, porque foi feito seguindo um trajeto pré-definido e sobre os olhares de uma multidão de testemunhas(especialistas, jornalistas e a galera em geral, dia 23 de outubro de 1906, na França). Nada de ser atirado para o alto por uma catapulta num obscura fazenda americana longe de todo mundo e sabe-se lá como. Alberto Santos Dumont(1873-1932)era genial e absurdamente apaixonado pelo mundo. Tanto que se recusava a patentear suas invenções e avanços na aeronáutica porquie queria que os conhecimentos sobre a aviação fossem de domínio público.

Santos Dumont em seu 14-Bis
Dumont em seu 14-Bis

Quando, após tentativas frustradas, Santos Dumont percorreu uma distância de 60 metros, 3 metros acima do solo, com o 14-Bis, ele virou manchete nos principais jornais. Pouco tempo depois, no mesmo ano, quebrou o próprio recorde e percorreu 200 metros em outro voo.

Santos Dumont era neto de franceses e o país europeu, na época, era considerado o centro do mundo. Era lá que todos os experimentos com aviação aconteciam e o api do inventor percebeu a obsessão do filho pela ideia de voar. Daí a mandá-lo estudar na França foi um pulo. Mas Santos Dumont nunca se formou. Parece que não tinha muito talento para teorias e, incrivelmente, foi considerado um mau aluno. Seu negócio era mesmo a prática.

Paris - Torre Eiffel
Paris – Torre Eiffel

Não demorou muito para que o brasileiro se relacionasse com os inventores da época e seu nome fizesse parte das rodinhas mais abonadas de Paris. Ele inclusive passou a ditar algumas tendencias de moda. Seu modelo de chapéu foi muito imitado. Também foi uma espécie de co-autor do primeiro relógio de pulso. Durante um de seus vôos, teve a idéia de usar o relógio no pulso em vez de andar com o objeto no bolso. Então, encomendou a seu amigo Cartier que fizesse um modelo igual ao que conhecemos hoje em dia.

Sua inteligência era incontestável. A cada novo invento, técnicas nunca vistas antes eram utilizadas, Foi o primeiro a utilizar motores movidos a petróleo. Depois do 14-Bis, o brasileiro continuou com seus experimentos e criou um modelo chamado Demoiselle, que usaria até o fim da vida. Teve quedas e, numa delas, foi impossibilitado de voltar a voar. Aos 36 anos, foi diagnosticado como portador de esclerose múltipla. Mas o golpe mais duro ainda viria: com a popularização das técnicas de aviação, e como nunca quis patentear suas descobertas, passou a sofrer com a perda de popularidade e falta de reconhecimento, tornando-se um homem deprimido. Também o deprimia ver aviões serem usados como armas de morte, tanto na Europa(Primeira Guerra Mundial), quanto no Brasil (nos bombardeios de forças getulistas a cidades paulistas durante a revolução de 1932).

Já de volta ao Brasil, se matou dia 23 de julho de 1932. Santos Dumont foi mais um desses fenômenos brasileiros inexplicáveis, que, vez em quando, fazem o mundo se curvar diante de tamanha genialidade.

Aeroporto Santos Dumont

Aeroporto Santos Dumont
Aeroporto Santos Dumont

O Aeroporto Santos Dumont (IATA: SDU – ICAO: SBRJ) é um aeroporto central localizado bem no centro financeiro da cidade do Rio de Janeiro para vôos domésticos. Construído na década de 30 sobre um aterro à beira da Baía de Guanabara, o Santos Dumont foi o primeiro aeroporto civil inaugurado no Brasil. Atualmente, é o segundo aeroporto mais movimentado do estado do Rio de Janeiro depois do Aeroporto Internacional do Galeão e também é um dos mais movimentados do Brasil, ocupando a sétima colocação em 2014.

Um destaque do Aeroporto Santos Dumont é a moderna sala de embarque, a primeira no Brasil totalmente revestida de material transparente, que dá uma ampla visão para a Baía de Guanabara, onde é possível observar pontos turísticos como a Ponte Rio-Niterói, a Ilha Fiscal, o Museu de Arte Contemporânea, a cidade de Niterói, a Escola Naval e o Pão de Açúcar.

Gostou do artigo, encontrou algum erro ou quer dar uma sugestão? Deixe seu comentário :)