Dicas Política

Bolsa Família – Uma Criação do Governo Lula

O mais notável programa social realizado no Brasil é o bolsa família, e ele ainda é um modelo internacional na luta contra à miséria e à exclusão.

Porém, alguns especialistas questionam a eficácia deste projeto, pois segundo os mesmos, o plano cria uma espécie de dependência das famílias auxiliadas.

Bolsa Família PT
Segundo especialistas, o Bolsa Família causa dependência

No entanto, as críticas ao programa ocorrem desde seu surgimento no governo do presidente Lula, no ano de 2003. A ideia do programa consiste em beneficiar famílias pobres com renda per capita entre R$77,01 a R$154,00. Atualmente o valor do benefício está em torno de R$77,00 por mês.

O governo por sua vez impõe aos pais que recebem o benefício do bolsa família, que os filhos precisam frequentar regularmente a escola. Esta exigência possui como meta a preservação de direitos básicos e o término do ciclo de pobreza entre gerações de brasileiros.

O bolsa família consolidou programas sociais do governo antecedente e deste modo tornou-se, nos últimos anos, o expositor essencial do governo petista e o líder das alterações sociais realizadas no país.

Tamanho foi à glória do programa que o fez ser ampliado no decorrer do governo da presidente Dilma Rousseff.  No último mandato do presidente lula, em 2010 o bolsa família custava aos cofres públicos R$14,3 bilhões. Nos dias de hoje o bolsa família presta assistência a 13,8 milhões de famílias carentes em todo o país, o que gera um custo ao Estado de 24 milhões por ano. O programa ainda é mencionado como sendo o representante central pela queda do nível de pobreza e redução da desigualdade social.

Cofre porquinho
Ao ponto de vista dos críticos o programa sustenta milhões de brasileiros acomodados.

O programa gera alguns impactos positivos tanto na economia do país, quanto na sociedade, pois permite que famílias carentes tenham acesso a mercadorias e serviços, provocando assim um estímulo na economia no país.

Outro fator positivo é que crianças que anteriormente estavam trabalhando para aumentar a renda familiar, agora estão na escola, o que produz uma redução nas taxas de analfabetismo.

Entretanto, ao ponto de vista dos críticos o programa sustenta milhões de brasileiros acomodados, o Estado os alimenta ao invés de motiva-las a ingressar no mercado de trabalho.

É possível concluir desta forma que enquanto nosso país depender de tais programas para exterminar a pobreza, mais distante permanece o sonho de nossa nação se transformar em uma respeitável potência.

10 de Março de 2016

Aline Garcez

Gostou do artigo, encontrou algum erro ou quer dar uma sugestão? Deixe seu comentário :)