Meteoro
Dicas

Viagem Por Dentro de Um Meteoro: Veja Como Seria a Sensação de Ser Um Átomo de Um Meteoro

Pense que você é um átomo que compõe um meteoro. Qual seria a sua cor? Qual seria a sua temperatura? A que velocidade você percorreria o espaço? Qual seria a sensação que você iria sentir ao entrar na atmosfera terrestre?

Pois bem, vamos responder a estas e outras perguntas sobre os meteoros ao longo deste artigo, proporcionando a você uma verdadeira viagem por dentro de um meteoro.

E se você for uma daquelas pessoas com uma grande capacidade de imaginação, poderá até sentir a sensação de como seria ser um dos átomos que compõe um meteoro.

Desprenda-se da ideia de que os átomos não podem sentir nada, use sua capacidade de raciocinar para conhecer toda a trajetória de um átomo que compõe um meteoro.

E para começar a nossa viagem, a primeira coisa que precisamos saber é o que de fato são os meteoros.

Pois bem, um meteoro é caracterizado pela entrada de partículas sólidas existentes no Sistema Solar na atmosfera terrestre, criando um rastro luminoso no céu com a sua passagem.

As partículas sólidas que vagueiam pelo espaço são denominadas como meteoroide, que ao entrar na atmosfera terrestre provoca um fenômeno luminoso no céu chamado de meteoro, também conhecido como estrela cadente.

A palavra meteoro deriva do grego meteoron, que pode ser traduzido como “fenômeno no céu”, ou “elevado no céu”, como em outras traduções.

Assim, no primeiro estágio da nossa viagem por dentro de um meteoro, sabemos que somos partículas sólidas que estão a vagar pelo espaço.

Mas ainda assim precisamos de mais informações, pois afinal de contas, de que material são feitos os meteoros? Ou melhor, qual a composição de um meteoro?

Composição química dos meteoros

Há alguns anos, viralizou na internet uma imagem que pretendia explicar de forma bem simples a composição dos meteoros, e como esses elementos influenciam em sua cor.

A intenção da imagem é até interessante, e possui embasamento científico, mas as informações nela contida são tão simplificadas que acabam deturbando nosso entendimento sobre quais fatores interferem nas cores de um meteoro.

A explicação da composição química de um meteoro é um pouco mais detalhada, e envolve uma série de fatores, que iremos discorrer logo abaixo.

Pois bem, cada cor simboliza uma onda de luz com um certo comprimento. A luz por sua vez, é uma forma de radiação eletromagnética na qual a frequência pode ser vista a olho nu.

São chamadas de espectro visível as frequências de luz que podem ser vistas ao olho humano, cujo as ondas possuem comprimentos entre 400 nm e 700 nm.

A sigla nm representa a unidade de medida nanômetro.

Para facilitar a compreensão sobre as frequências de luz, podemos observar a imagem abaixo:

A luz branca é formada por todos os comprimentos de luz que pode ser vista ao olho humano.

Em relação aos meteoros, assim que o meteoroide entra na atmosfera terrestre, os átomos que o compõe serão excitados pelo calor e energia liberados, que consequentemente irá emitir luz nos comprimentos de ondas segundo o seu espectro de emissão.

E é justamente nessa parte que a simplificação sobre as cores dos meteoros contida na imagem citada anteriormente acaba prejudicando nosso entendimento sobre as cores e composição química de uma estrela cadente.

Pois os meteoroides, que ao entrarem na atmosfera são chamados de meteoros, como vimos anteriormente, possuem em sua composição vários minerais.

Alguns dos mineiras que podem compor um meteoro são as olivinas, feldspatos e também materiais refratários com alta concentração de cálcio e alumínio, ferro e níquel.

Assim, podemos concluir que a cor de um meteoro dificilmente será baseada em cima de um único elemento.

Devido à variedade de elementos que o compõe, perceberíamos a luz na cor branca, devido a mistura de espectros.

Por este motivo, em sua maioria, os meteoros emitem luz branca.

Mas também devemos ressaltar que o vapor resultante do aquecimento da rocha, em sua maioria, reflete o gás presente na atmosfera terrestre.

Assim, depois da luz branca, as cores mais comuns nos meteoros são vermelho, verde e azul, que também são as principais cores observadas nas auroras boreais.

Então voltando a nossa viagem por dentro de um meteoro, depois de saber o que de fato é um meteoro e como é a sua composição, chegou a hora de discorrer sobre a temperatura dos meteoros.

Temperatura dos meteoros

Grande parte dos meteoros possuem apenas alguns milímetros de diâmetro, porém, eles entram na atmosfera terrestre em velocidades bem altas, provocando a compressão do ar que está em sua frente.

O ar comprimido, por sua vez, aumenta a temperatura da superfície do meteoro, fazendo com que ele atinja temperaturas em torno de 1.648°C.

Não dá para comparar essa temperatura com nada que experimentamos em nosso dia a dia, mas claro, é óbvio supor que é muito, muito quente.

A essa altura, as camadas externas do meteoro começam a vaporizar em um processo denominado de ablação.

Assim, os átomos vaporizados se chocam com as moléculas presentes na atmosfera terrestre, criando uma trilha ionizada, que quando excitada, produz um rastro de luz brilhante.

O comprimento desse rastro luminoso varia de acordo com a velocidade do meteoro, podendo medir cerca de um metro, ou quilômetros.

E por falar em velocidade, qual a velocidade dos meteoros quando eles entram na atmosfera terrestre?

Pois bem, vamos saber um pouco mais sobre a velocidade dos meteoros.

Velocidade de um meteoro

Grande parte dos meteoros visíveis são provocados por pequenas partículas, dos mais variados tamanhos.

Elas podem ser tanto do tamanho de uma pedra, quanto do tamanho de um grão de areia, e normalmente pesam 1 ou 2 gramas.

A velocidade com que eles entram na atmosfera terrestre pode variar de 11 km/s até 72 km/s.

A variedade da velocidade com que os meteoros entram na atmosfera terrestre se dá porque a Terra está viajando a uma velocidade estimada de 30km/s.

Assim, na borda da Terra, os meteoroides que atingem nossa atmosfera tendem a ser mais lentos, enquanto os que atingem a ponta da Terra tendem a ser mais rápidos. Depois de conhecer a composição, cores, temperatura, velocidade dos meteoros e porque eles criam um rastro de luz quando entram na atmosfera terrestre, podemos nos familiarizar e viajar por dentro desses fenômenos luminosos que despertam o interesse dos mais variados tipos de pessoas.

Gostou do artigo, encontrou algum erro ou quer dar uma sugestão? Deixe seu comentário :)